LEVE E FRESCA

                                                           2012-04-23

Leve e muito fresca, vai ela,
Segura em seu caminhar,
Esguia e veloz, qual gazela,
Firme no porte e leda no olhar.

Movimentos seguros e ritmados,
Sorriso franco e cativante,
Cabelos soltos e ondulados,
No rosto, uma alegria esfusiante.

Na mente, um sonho por cumprir.
Na mão, um gesto de ternura.
Na voz, palavras com sentir.

Assim vai ela, de si segura.
Assim caminha ela a sorrir.
Assim vai ela feita doçura.

João Alberto Bentes ( Abril/2012)           

 MAR IMENSO

Beijo a tua água
e tempero o ego.
Bebo a tua espuma
e celebro a vida em ti.

Abraço a tua areia
e saúdo o meu corpo.
Sinto a tua brisa
e refresco o ardor
da minha paixão.

Mar!
É em ti que poiso o olhar
que se dilui na lonjura
dos teus remotos limites.

Oiço o barulho das tuas ondas
fustigando severamente
as rochas tuas vizinhas
e temo pela vida dessa gente,
que ouve o que tu lhe contas.

Vejo um barco naufragando
e homens que nada são
de tão impotentes,
lutando pelas vidas
às vezes sem solução.

Oiço os gritos de tanta dor,
vindos do fundo da alma.
Olho a viúva do pescador,
cuja vida nunca foi calma
e sinto em mim a dor
da tua repentina mudança.

Enquanto te agitas e sossegas
muita da vida em ti,
deixa de ser o pão de alguém,
pois a tua fúria louca, negou
o alimento, que o teu sal contém.

João Alberto Bentes (14/03/2012)

   

Quem Somos | Projectos | Agenda | Forum | Contactos