À minha mãe! 

Mãe, 
Se eu voasse, subia ao céu
Para ter um sorriso teu.
Mãe,
Porque partiste assim,
Sem te despedires de mim?
Não me deixaste amenizar tua velhice
Nem dizer-te quanto te amava
Partiste só, de repente, sem que eu pudesse abraçar-te,
Não me deixaste agradecer-te por existires.

 Eu queria dizer-te tanta coisa!
 Queria agradecer o teu sorriso, até na dor
 Queria olhar-te e beijar teu rosto
 Esse rosto sofrido que carregaste toda a vida,
 Mas sempre resistente e sereno,
 Rindo e chorando, mas sempre firme.
 Queria ver-te sorrir ternamente
 Como só tu sabias.
 
  E tu partiste sem um adeus, sem um carinho meu
  Se eu pudesse, buscar-te-ia para junto de nós
  Encher-te ia de beijos sentidos e doces
  Como doce eras tu, mãe coragem.

   Assim, como não posso ter-te junto a mim,
   Rezo pelo teu ser, para que a tua ausência
   Não te faça sofrer por amor,
   Para que possas sentir-nos a teu lado
   Dizer-te que nunca te deixaremos.
   Obrigado pelo teu amor.

    João Alberto Bentes
 
     Abril/2010

Quem Somos | Projectos | Agenda | Forum | Contactos