FADO DA CRIANÇA

Uma criança nasceu 
Com direito à esperança
De viver em harmonia,
Mas, quando seus olhos abriu
Eu não sei o que ela viu,
Que começou a chorar.

Talvez tenha sentido,
Mesmo, mesmo ao acordar,
Que aquele  momento vivido
Podia ter acontecido
Para viver a penar.


E a criança foi crescendo
E renovando a esperança,
De viver cada momento
Como sendo ainda criança.


Uma criança nasceu
E abriu os olhos à vida
E de tanto que viveu
Sentiu-se tão esquecida,
Que a sua esperança perdeu.

João Alberto Bentes

(Novº/2010)

   

Quem Somos | Projectos | Agenda | Forum | Contactos