A CASA DO EDUCADOR FOI AO CASINO DO ESTORIL

Mais uma excelente iniciativa da nossa associação propiciando-nos, além de umas horas de agradáveis convívio e conversa entre amigos já que nem sempre é fácil encontrarmo-nos com frequência, a oportunidade de assistir à última criação do conceituado autor, director artístico e encenador Filipe La Féria.

Assim, um grupo de cinquenta sócios e amigos da CES, CesViver e UnisSeixal passaram um serão maravilhoso no Casino do Estoril, deliciando-se com "O Musical da Minha Vida", produção esta que visa comemorar as cinco décadas inteiramente dedicadas por Filipe La Féria ao Teatro.

Muito obrigada à Casa do Educador por nos ter ajudado a passar um serão em beleza.
Bem-haja a todos que se empenharam para nos proporcionar esta nossa ida até ao Estoril.
Como os meus queridos amigos devem saber, não se pode tirar fotografias no Casino do Estoril.
Nós não sabíamos daí, apenas figurar neste álbum que acompanha o meu texto, uma única tirada no átrio, momentos antes de sermos informados pelo segurança de tal norma; todas as fotos restantes foram retiradas da página do FB deste musical e estão devidamente identificadas.

- Que poderei dizer sobre este maravilhoso espectáculo?

- É mais uma excelente criação com a matriz de Filipe La Féria e está tudo dito!

Como o próprio nome sugere, La Féria recria em imagens magníficas, a infância passada na Aldeia Nova de São Bento, no Alentejo, a estadia em Lisboa, e outras cidades onde viveu como Paris ou Nova York, partilhando com o espectador os seus mitos, as vedetas preferidas, os filmes que o marcaram, o teatro, a música e a literatura.

Assim, temos a oportunidade de “revisitar” a História do nosso País, desde a segunda metade do século XX até à actualidade, guiados e muito bem por cantores, actores, bailarinos, acrobatas e uma orquestra ao vivo dirigida pelo Maestro Telmo Lopes.
P’los nossos olhos maravilhados com tanta recordação linda passaram grandes vultos do cinema e da canção como, por exemplo, Charlie Chaplin, Marlene Dietrich, Carlos Gardel, Maria Callas a qual em 1958 actuou no nosso prestigiado Teatro S. Carlos, Elvis Presley, Freddie Mercury e Montserrat Caballé, os Beatles, etc..

A exemplo do que se produzia no estrangeiro, também no nosso País alguns grandes êxitos foram representados como, por exemplo, "A Fera Amansada", interpretada então pela magistral Laura Alves.

Fragmentos de «Carrocel», «Aladino», "Wicked" também nos maravilharam.
E que dizer dos ritmos que marcaram a década de sessenta como o Twist, Rock’n’Roll, e o Jazz, ou, então, as grandes criações musicais que marcaram a década de setenta?
Enfim, foram tantos, mas tantos os artistas e canções que agradavelmente recordámos, desde cenas do filme Oklahoma em recriação dos westerns, como grandes musicais que na época fizeram furor em New York, Chicago, ou mesmo bailarinos que primavam como Fred Astaire e Cid Charisse…

Vejam bem que esta bela produção musical até faz referência a uma grande senhora da canção espanhola e cujos filmes estavam em voga nessa época!

Na bonita e bem timbrada voz da Alexandra o nosso Fado marcou presença!

Outro momento muito especial, pelo menos para mim, foi ter a grata surpresa de ouvir na voz excelente de outro artista, a belíssima «Balada do Outono", do Zeca Afonso, envolvida num cenário divinal.

Caros amigos, por alguns motivos a crítica deste belíssimo espectáculo é unânime em afirmar que nele foram utilizados muitos meios tecnológicos e sofisticados, colocando-o ao nível dos espectáculos de Las Vegas.

Agora, passo a destacar os grande e bons protagonistas deste maravilhoso musical:
- Alexandra, Dora, Pedro Bargado, Sissi Martins, Ruben Madureira, Cláudia Soares, David Ripado, Catarina Mouro, João Frizza, Sofia Noronha, Daniel Galvão, sem esquecer também a colaboração especial da sensacional soprano Catarina Mouro e do actor cómico João Frizza.

- Há um bom corpo de baile constituído por dezasseis bailarinos coreografados magistralmente por Marco Mercier.

- A direcção das vozes é da responsabilidade de Tiago Isidro.

- A assistência de encenação pertence a Filipe Albuquerque.

- Helena Rocha é a responsável p’la dramaturgia.

- Mais uma vez os deslumbrantes e “glamourosos” figurinos são do Mestre José Costa Reis.
- Como é óbvio, a autoria, direcção artística, encenação e cenários são de Filipe La Féria.

No final do espectáculo e para culminar a deliciosa noite passada, quer entre amigos da CES, Cesviver ou UnisSeixal, quer no próprio Casino do Estoril, todo o público presente neste lindo salão foi surpreendido por um romântico e maravilhoso momento! Foi emocionante ver o acrobata Miguel Tira-Picos pedir em casamento a acrobata Mónica Alves, surpreendendo todos os presentes e levando toda a sala ao rubro com este seu romântico e corajoso gesto de amor.

Adorámos!
Perante tudo o que descrevi, se é que os meus caros amigos tiveram tempo e paciência para ler esta minha longa notícia, será que consegui incentivar-vos a participar nos eventos e iniciativas diversificadas que a nossa associação vai realizando mensalmente?
Espero que sim.

 

 

 

 

 

 

 

Mª de Lourdes Mano

Quem Somos | Projectos | Agenda | Forum | Contactos